Millennials: a Instabuy detalha esse novo consumidor.

Também conhecidos como geração Y, os millennials representam uma faixa demográfica da população mundial. Alguns estudiosos diferem sobre as datas exatas, mas estima-se que essa geração representa os nascidos entre o período da década de 80 até o começo dos anos 2000.

Podemos falar que essa nova geração desenvolveu-se numa época de grandes avanços tecnológicos e prosperidade econômica. Vivendo em ambientes altamente urbanizados, os millennials presenciaram uma das maiores revoluções na história da humanidade: a Internet.

O objetivo desse artigo é conhecer os seus hábitos, entender como pensam, as suas características, pois precisamos estar preparados para eles.

Millennials é um termo usado para designar a geração posterior à X. As pessoas que nasceram entre 1981 a 1995 são consideradas Millennials. 

Em questões de gramática, as pessoas que se enquadram como Millennials, também podem ser conhecidas como “Geração Y” e “Nativos Digitais”, sendo que o último leva o nome pela condição de que, as pessoas de 1981 a 1999, nasceram e cresceram no famoso “Boom da Internet”, cujo marco são os primeiros smartphones.  

Millennials = Nativos Digitais = Geração Y

Se pudéssemos avaliar a geração Millennial em duas características, seriam elas: empoderadas e frustradas

Por causa do seu comportamento de compra, por ditarem tendências e, obviamente, serão seus consumidores em breve. Além de, com a velocidade das informações pelas redes sociais, influenciarem o mundo. 

Para melhor visualizar:

Baby Boomers

Nascidos entre 1944 e 1964

Geração X

Nascidos entre 1965 e 1979

Millennials (Y)

Nascidos entre 1980 e 1994

Geração Z

Nascidos entre 1995 e 2015

Vale lembrar que essas não são as únicas gerações. Antes delas temos os Baby Boomers, que nasceram durante um pico na taxa de natalidade nos anos após a Segunda Guerra Mundial até o início dos anos 60, e a Geração X, também conhecida como “geração MTV”, nascidos entre o início dos anos 60 até o início dos anos 80.

Empoderados

Essa geração nasceu com uma grande expectativa em cima dela. Já que houve um boom tecnológico, o qual criou-se novos empregos e novas perspectivas de vida. Inclusive, a maioria das pessoas dessa geração quando criança, ouviram em noticiários e pelos próprios pais, que o mundo da juventude seria perfeito e rodeado de oportunidades. 

Portanto, quando aparecia uma boa oportunidade de emprego, eles agarravam com força e faziam de tudo para que a meta fosse cumprida. Desde pequenos, eles foram empoderados para serem a geração mais evoluída que existiria, uma vez que tudo estava ao favor deles. 

Além disso, por se sentirem a geração que mudaria tudo, eles foram grandes ativistas em causas humanitárias, do meio ambiente e, acima de tudo, lutaram por igualdade – tanto na vida profissional quanto na acadêmica. 

Os Millennials eram a geração do novo, do futuro. A geração que vinha com grandes mudanças.

Frustrados

Sim, os Millennials são e foram muito frustrados, já que o futuro que prometeram não se concretizou para uma parcela. Se por um lado eles foram empoderados pela família e jornais, por outro, eles foram roubados pela política e economia. 

Isso porque, justo na época em que a maioria ingressou ou se estabilizou no mercado de trabalho, duas grandes crises acometeram o Brasil e o mundo. A crise de 2008 foi sucedida pela crise de 2010, que por sua vez foi sucedida pela crise de contração econômica brasileira de 2014, que também foi sucedida pela crise sanitária global de 2019. 

Com uma sequência de crises, muitos dos Millennials viram seu plano de evolução e crescimento profissional – algo pelo qual eles prezam muito – se esvaindo, uma vez que demissões em massa, inflação e congelamento de salário aconteceram. 

Todo o sonho de mudar o mundo e fazer a diferença foi atrasado por impactos econômicos e políticos, os deixando somente com a frustração de um futuro não realizado. 

Fonte: Maria Clara Vaiano – redatora do blog da PontoTel sobre Recursos Humanos

Pesquisa destaca hábitos de consumo dos millennials

A 5W Public Relations, uma das maiores empresas de relações públicas dos Estados Unidos, lançou seu primeiro relatório anual sobre a cultura do consumidor e as maiores influências por trás de seu comportamento de compra. A pesquisa tem foco especial nos millennials, que segundo o estudo devem gastar US$ 1,4 trilhões em 2020. Os dados foram coletados por meio de pesquisas online, junto a norte-americanos com mais de 18 anos, em novembro de 2019.

O Facebook é a rede social dominante em todas as faixas etárias, seguido pelo Instagram, YouTube, Twitter, Snapchat, Reddit, Pinterest e TikTok, respectivamente. No Instagram, as postagens patrocinadas e não patrocinadas têm níveis semelhantes de influência, o que sinaliza oportunidades para as marcas se conectarem com seu público nesta plataforma.

O levantamento também aponta que 72% dos millennials são influenciados por fontes externas, como artigos e blogs, personalidades do Instagram ou endossos de celebridades. Para 83% dessa fatia de consumidores, é fundamental que empresas e marcas se alinhem às suas crenças e valores.

É uma geração que sempre busca ferramentas digitais para ajudar a gerenciar suas dívidas e rotina. Os millennials querem parceiros que ajudarão a orientá-los para grandes compras. 

Padrões de consumo da Geração Y

De modo geral, os Millennials gastam mais do que as gerações anteriores, especialmente quando se trata de hábitos alimentares, como comprar um café mais caro ou comer fora. 

 Veja, abaixo, alguns hábitos de consumo dessa geração comparados com a seguinte, a Geração Z:

Padões de consumor Geração Y
Padrões de consumo Geração Z
  • Os Millennials representam 54% das compras online;
  • 22% da Geração Y usa aplicativos para comprar mantimentos;
  • 63% concluem as transações em seus smartphones;
  • 83% não se preocupam com segurança durante as compras online;
  • 60% preferem comprar marcas genéricas;
  • 40% analisam avaliações e depoimentos online antes de comprar qualquer produto;
  • 60% permanecem fiéis às marcas que compram; 
  • 81% da geração Y espera que as empresas se comprometam publicamente com causas beneficentes e de cidadania;
  • 74% mudariam para um varejista ou marca diferente se tivessem uma experiência negativa no atendimento recebido.
  • 66% dos compradores da Geração Z querem que as marcas vendam produtos de alta qualidade;
  • 45% escolhem marcas que são ecologicamente corretas e socialmente responsáveis;
  • 61% da geração Z prefere marcas que oferecem proteção e armazenamento de dados seguros;
  • 43% preferem marcas que fornecem termos e condições claros de como eles usarão suas informações;
  • 65% tentam aprender a origem das coisas que compram, incluindo de onde é e de que é feita;
  • Mais de 98% prefere fazer compras em lojas físicas;
  • Menos de um terço da Geração Z se sente à vontade para compartilhar dados pessoais, além de informações de contato e histórico de compras;
  • 56% desejam que a experiência na loja seja divertida, para que não fiquem entediados;
  • 48% esperam poder trocar ou devolver itens comprados on-line na loja;
  • 66% dizem que visitariam mais uma loja se pudessem verificar a disponibilidade do item com antecedência;
  • 39% esperam que as lojas “just walk out” sejam a maioria nos próximos 12 meses, sem a necessidade de interagir com um caixa ou fazer check-out;
  • 44% desejam que as marcas usem realidade aumentada ou realidade virtual para aprimorar a experiência de compra;
  • 52% usam seus smartphones nas lojas para procurar produtos em outras lojas para comparações de preços;
  • A geração Z representa 25% do tráfego total de serviços de alimentação.

Os Millennials preferem experiências a ótimos produtos e bens de consumo. Eles preferem gastar o dinheiro com o viver do que com o possuir.

Por isso, marcas que oferecem uma experiência única e um ótimo atendimento ao cliente tendem a se destacar. Uma empresa que entendeu e acompanhou essa mudança foi a Starbucks, que tem feito o possível para não vender apenas café, mas fornecer algo mais, experiência. 

Há uma razão para que a Starbucks tenha várias tomadas elétricas, Wi-Fi gratuito e cadeiras confortáveis, eles vendem uma experiência de qualidade. O café é apenas algo adicional. 

Normalmente um café custa R$ 1,50, mas as pessoas pagam R$ 6. A razão para isso é que a empresa agrega uma experiência agradável por trás do café. A Starbucks percebeu que apenas vendendo bebidas não conseguiria liderar o setor. 

O impacto dessa geração na economia será significativo, isso significa que eles também têm o poder de afetar seus negócios. 

Fonte: Infovarejo

O Itaú lançou os estudos entitulado “Millennials: Unravelling the Habits of Generation Y in Brazil”. São uma série de relatórios, com o objetivo de discutir possíveis mudanças que esta geração poderia trazer para vários setores e, finalmente, para as empresas brasileiras listada. Vamos conferir os principais dados.

millenials no tik tok

Por que os millennials importam?

Os millennials já representam 34% da população do Brasil e cerca de 50% de sua força de trabalho atual (ou 70% até 2030). Suas atitudes são indicadores precoces de tendências futuras e, portanto, as empresas que prestam atenção hoje podem obter insights valiosos sobre as oportunidades de amanhã.

millenials selfie

O efeito borboleta da geração Y nos EUA

Observamos que as mudanças nas tendências em alguns setores podem ser parcialmente atribuídas aos comportamentos e preferências dos consumidores da geração do milênio. Apresentamos alguns estudos de caso, como TV a cabo vs. streaming de TV, refrigerante vs. consumo de água e possuir vs. alugar um imóvel. Também existe um ETF Millennial nos EUA que tem superado de forma consistente o índice S&P 500.

millenials selfie

Desvendando os hábitos da geração Y no Brasil.

A geração do milênio brasileira tende a atribuir mais valor à propriedade de itens como carros e casas do que vimos nos EUA e em outros países. No Brasil, a preferência por compras e entrega online distingue os Millennials de outras gerações, embora não tenhamos sinalizado diferenças significativas em termos de bem-estar e uso de mídia social.

Geração Y e por que é importante: o consumidor Millennial

Muito pouco se aprendeu sobre os Millennials brasileiros como consumidores, porque a maior parte das pesquisas sobre essa geração tem se concentrado nos Millennials dos EUA. Com essa geração ganhando espaço na força de trabalho e renda brasileiras, as empresas voltadas para o futuro precisam adequar suas estratégias a esses novos clientes. Acreditamos que as atitudes da geração Y são indicadores precoces de tendências futuras e, portanto, as empresas que prestam atenção hoje podem obter insights valiosos sobre as oportunidades de amanhã e obter uma vantagem inicial na captura de uma fatia maior da carteira da geração do milênio. Nesse sentido, nos aprofundamos em algumas tendências Millennials analisadas nos EUA para entender se são as mesmas no Brasil.

As quatro principais atitudes e comportamentos da geração Y.

Usando um estudo do BCG sobre a geração do milênio nos EUA como referência, a geração do milênio exibe quatro atitudes e comportamentos principais.

Eu quero rápido e quero agora.

Os consumidores da geração Y estão sempre com pressa, e é fundamental que as empresas determinem como fazê-los perder tempo desenvolvendo um relacionamento com uma marca.

% que preferem cadeias de fast-food de luxo sem serviço de mesa.

Millennials 81%
Não-Millennials 71%

Confio mais em amigos do que em empresas.

Millennials tendem a buscar fontes múltiplas de informação, especialmente de canais não corporativos, e é provável que consultem amigos antes de tomarem decisões de compra.

% que lêem resenhas de usuários e pesquisam produtos durante as compras.

Millennials 50%
Não-Millennials 21%

Sou uma criatura social online e offline.

Os Millennials usam plataformas de mídia social mais do que os não Millennials e mantêm redes significativamente maiores do que os não Millennials (por exemplo, no Facebook).

% que usam plataformas de mídia social

Millennials 79%
Não-Millennials 59%

Eu posso construir um mundo melhor.

Millennials acreditam que trabalhar por causas é parte integrante da vida e são atraídos por grandes questões. Eles esperam que as empresas se preocupem com as questões sociais.

% que compra itens associados a uma causa específica

Millennials 37%
Não-Millennials 30%

Fonte: Itaú BBA, BCG.

Por dentro dos Millennials

A Geração Y dentro da Geração Y: Diferentes Tendências e Ideais na Geração Y

Seis tipos principais de Millennials. A geração do milênio nos EUA pode ser dividida em seis categorias / tipos principais. Acreditamos que as mesmas categorias podem ser provavelmente aplicadas aos Millennials brasileiros.

Hip-ennial

“Eu posso tornar o mundo um lugar melhor”

Mãe-millennial

“Amo malhar, viajar e cuidar do meu bebê”

Anti-Millennial

“Estou muito ocupado cuidando do meu negócio e da minha família para me preocupar com muito mais”

Gadget Guru

“É um ótimo dia para ser eu”

Millennial Limpo e Verde

“Eu cuido de mim mesmo e do mundo ao meu redor”

Millennial Velha-escola

“Conectar-se ao Facebook é muito impessoal, vamos nos encontrar para um café!”

A enchente de Millennials

A geração do milênio tem ganhado participação na força de trabalho dos EUA. A maioria dos membros mais jovens da geração Millennial ainda depende economicamente de seus pais, embora os Millennials mais velhos estejam começando a entrar em seu pico de gastos e aumentando sua relevância dentro da força de trabalho. 

Usando os EUA como referência, os Millennials se tornaram a maior geração da força de trabalho em 2016, superando a Geração X (Gen Xers). Em 2017, a geração do milênio representava mais de um terço da força de trabalho dos EUA e continuará crescendo, com base nas projeções para a população dos EUA, até 2050.

Tomando como referência os estudos sobre a geração Y, as expectativas dessa geração são diferentes das das gerações anteriores. Sublinhado, acreditamos que as empresas precisarão repensar suas marcas, produtos, modelos de negócios e estratégias de marketing, de acordo.

As empresas que negligenciam a geração Millennial têm maior probabilidade de sofrer interrupções e perder participação com o tempo em um mercado altamente competitivo. Ao mesmo tempo, acreditamos que a geração Millennial pode revelar novas oportunidades de negócios e favorecer novas start-ups.

A relevância do Millennial brasileiro

E quanto ao Brasil? A Geração Millennials na Paisagem Brasileira.

Os Millennials são a maior geração do Brasil. Uma melhor compreensão dos hábitos de consumo e preferências da geração do milênio brasileiro deve ser de suma importância nas estratégias das empresas. Cruzando nossa divisão por gênero com os dados do IBGE (Escritório Brasileiro de Estatística), a Geração Y já representa 34% da população do país e cerca de 50% de sua força de trabalho atual. Além disso, projetamos que sua participação na força de trabalho tende a crescer significativamente à frente; espera-se que representem mais de 70% da força de trabalho do país até 2030.

O desemprego é naturalmente maior entre os jovens da geração Y. Pelos dados do IBGE, a taxa de desemprego entre os jovens Millennials (19-24 anos) é de 27,3%, naturalmente acima dos Millennials mais velhos (11,9%) e da média do país (12,7%), por se encontrarem em um estágio de entrada no mercado de trabalho. É interessante notar que a economia de gig (ou seja, um mercado de trabalho caracterizado pela prevalência de contratos de curto prazo ou trabalho autônomo em oposição a empregos permanentes) pode distorcer as taxas de desemprego à frente, dada sua crescente importância entre as gerações mais jovens.

Millennial já é a maior geração do Brasil

Composição da População Brasileira

Representarão cerca de 70% da força de trabalho até 2030

A Geração Millennial do Brasil vista à lupa

Gênero

Masculino

50%

Feminino

50%

Estado Civil

Solteiro

40%

Casado

42%

Unido

10%

Divorciado

8%

Residência

Urbana

8%

Rural

8%

Raça/Etnia

Branco

56%

Preto

9%

Asiático

2%

Pardo

33%

Outro

1%

Idade

>18

3%

18-39

58%

40-59

30%

<60

9%

Rendimento

>1 SM

20%

1-4 SM

47%

5-9 SM

21%

10-15 SM

7%

<15 SM

4%

Emprego

Full time

46%

Part time

18%

Estudante

10%

Ñ trabalha

26%

Nível de Ensino

Fundam.

2%

Fundam.

1%

Médio

40%

Médio

7%

Universid.

23%

Universid.

16%

Pos/MBA

10%

Moradia

Própria

69%

Alug./Pais

31%

Hábitos de consumo dos Millennials

  • Millennials querem que suas compras os façam bem, independentemente do valor. 60% deles tendem a procurar por produtos ou serviços que carregam uma expressão de suas personalidades. Diferente dos babies boomers e da Geração X, que consomem baseado na quantidade e não na qualidade, os millennials valorizam seu dinheiro. Por isso, compram somente produtos que supram necessidades logísticas e emocionais.
  • Quase 80% dos também chamados de Geração Y pesquisam algo na internet antes de comprar, tanto na loja online quanto na física. Além disso, mais de 70% das pessoas dessa geração seguem alguma marca em redes sociais. Isso representa um crescimento de 30% desde 2017.
  •  
  • Eles procuram por experiências mais que por coisas materiais e estão dispostos a pagar a mais por isso. De fato, algumas marcas já reconhecem esse potencial e estão começando a implementar o Marketing Experiencial em suas estratégias. Esse tipo de marketing incentiva interações – com a marca ou com outros consumidores – em eventos ou publicações online.
  •  
  • Millennials gostam de compartilhar. Estudos indicam que 13% deles são mais propensos a compartilhar sobre suas compras em suas mídias sociais (inclusive dando detalhes de como foi o processo de compra e atendimento da loja). Isso proporciona um fórum perfeito para quem procura informações sobre o produto e para quem quer que suas opiniões sejam ouvidas. As marcas precisam interagir com seus consumidores nas redes sociais e estarem prontas para possíveis problemas de feedback.
  •  
  • Eles confiam mais na opinião endossada. Mais de um terço deles preferem esperar até que alguém que conheçam e confiam experimentem algo. Embora gostem de experimentar coisas novas, evitam prestar atenção nos anúncios criados pelas empresas e valorizam mais a opinião boca a boca e reviews feitos por outros consumidores. Ao planejar uma estratégia, as marcas precisam incorporar o marketing de influência, a fim de gerar a confiança que os millennials necessitam.
  •  
  • Eles confiam mais na opinião endossada. Mais de um terço deles preferem esperar até que alguém que conheçam e confiam experimentem algo. Embora gostem de experimentar coisas novas, evitam prestar atenção nos anúncios criados pelas empresas e valorizam mais a opinião boca a boca e reviews feitos por outros consumidores. Ao planejar uma estratégia, as marcas precisam incorporar o marketing de influência, a fim de gerar a confiança que os millennials necessitam.
  •  
  • Eles se distraem facilmente, não têm memória tão boa e perdem interesse com muita facilidade. Para que uma marca desperte engajamento é preciso uma constante atualização para estar sempre em evidência. Por isso, faça as atualizações das redes sociais e também renove sua marca com atualizações de práticas e costumes.
  •  
  • 33% deles visitam blogs e fóruns sobre o produto ou serviço para, somente depois, concluírem a compra. Isso se o feedback tiver sido positivo. Enquanto outras gerações confiam mais na mídia tradicional, os millennials buscam nas redes sociais um olhar mais autêntico do mundo, especialmente se o conteúdo tiver sido escrito por alguém que eles confiam. Como já mencionado, são pouco influenciados por propagandas (online e off-line). Somente 1% dos millennials responderam em uma pesquisa que a propaganda pode contribuir para que eles acreditem mais no poder de uma marca.
  •  
  • Eles são mais propensos a se tornarem leais. 60% respondem que, se uma marca proporciona a melhor experiência com o melhor produto, continuam procurando por ela em compras futuras. Além disso, 62% dizem que, se uma marca interage com eles em alguma mídia social, também ficam mais propensos de se tornarem consumidores fiéis. Pretende atingir estes consumidores, que são exigentes, porém rentáveis? Mantenha um feed sempre ativo e esteja preparado para respondê-los.
  •  
  • Eles são multiconectados e usam vários dispositivos: 87% usam entre dois e três dispositivos pelo menos uma vez ao dia. Quando uma nova forma de tecnologia surge, pode apostar: é só uma questão de tempo até que os millennials a domine. Para acompanhar, as marcas precisam ficar ligadas e permitir a interação através dessa nova tecnologia assim que lançada, uma vez que o hábito de consumo dos millennials acompanha o desenvolvimento tecnológico.
  •  
  • Eles procuram marcas que retribuam à sociedade. 75% acham importante que empresas devolvam alguma parte dos seus lucros à sociedade, ao invés de simplesmente lucrarem. Destaca-se também entre pessoas dessa faixa etária a constante preocupação ambiental. Em recente pesquisa de uma empresa americana de marketing especializado em sustentabilidade, 90% dos millennials entrevistados dão preferência para uma marca que deixa explícitas suas boas práticas ambientais e 95% destes recomendam a marca para amigos.
  •  
  • Eles procuram marcas que retribuam à sociedade. 75% acham importante que empresas devolvam alguma parte dos seus lucros à sociedade, ao invés de simplesmente lucrarem. Destaca-se também entre pessoas dessa faixa etária a constante preocupação ambiental. Em recente pesquisa de uma empresa americana de marketing especializado em sustentabilidade, 90% dos millennials entrevistados dão preferência para uma marca que deixa explícitas suas boas práticas ambientais e 95% destes recomendam a marca para amigos.
  •  

Redação Eficaz | Alisson Galassi

  • Estima-se que os millennials gastam em torno de $600 bilhões por ano somente nos Estados Unidos. 
  •