[GUIA] 10 coisas para conferir antes de abrir um e-commerce

Quando o lojista decide iniciar seu empreendimento, geralmente existe um planejamento e uma série de pesquisas para minimizar riscos e garantir que aquele investimento não será perdido. Essa é uma etapa importante para impedir prejuízos no inicio de um negócio. Abrir um e-commerce não é diferente e necessita de cuidados para que não se torne um “um tiro no pé” do lojista. Listamos alguns cuidados que vão guiar a jornada do supermercadista, após abrir um e-commerce com a Instabuy.

 

1 – Entenda como encaixar seu negócio no mundo digital

 

Pode parecer simples, mas abrir um e-commerce é um exercício que exige planejamento e preparo. Da mesma forma que é necessário ter um entendimento de toda a operação física do negócio, no e-commerce não é diferente e precisa que haja uma conexão entre processos físicos e digitais. Algumas coisas que devem ser analisadas:

 

  • Quais produtos o cliente busca no meio digital?
  • A operação física está conectada com a digital e sem gargalos?
  • Não é necessário colocar todos os produtos no e-commerce, mas os estratégicos no início.

 

2 – Alinhamento com o plano de negócios

 

Um plano de negócios bem estruturado, é o norte para a empresa saber onde ela quer chegar e seus objetivos, além dos valores internos e externos. Um e-commerce precisa estar alinhado com esse plano de negócios. Alguns pontos são:

 

  • Planejamento Financeiros (Fluxo de caixa, despesas, operações, gastos, etc.)
  • Planejamento Logístico
  • Metas de faturamento esperado, uma estratégia progressiva.
  • Quem é o público?

 

3 – Quais canais de anúncios serão utilizados?

 

Um e-commerce não pode ficar apenas esperando que seu cliente faça pesquisas e encontre-o. As chances disso acontecer, caso seja novo no mundo digital, são pequenas e podem acabar frustrando expectativas e quebrando a operação.

É necessário apostar em divulgação, panfletagem, anúncios e campanhas para a região do negócio. Uma sugestão, é começar criando anúncios simples e então ir evoluindo a qualidade deles. Isso poder ser feito das seguintes formas:

 

  • Estudando anúncios de concorrentes e aprimorando.
  • Conhecendo o público.
  • Tentativa e erro.

 

Leia também: Dicas de conteúdo para o seu supermercado 

 

4 – Ter uma estratégia de venda progressiva clara

 

Uma dúvida recorrente entre lojistas que querem embarcar no mundo das vendas online, é saber o quanto a sua operação irá conseguir suprir os pedidos e demandas dos consumidores já no início.

A melhor estratégia para essa caso, é definir uma quantidade de pedidos que o supermercado vai conseguir atender no início e progressivamente aumentar a capacidade de sua operação, com colaboradores, infraestrutura, marketing, divulgação e controle contábil.

 

5 – Conferir estoques e organiza-los no mundo online

 

É essencial que o controle de estoque esteja alinhado com a plataforma online, para garantir que não haverão gargalos na operação durante o lançamento do e-commerce.

Entender como integrar o estoque real com o digital é necessário, e caso o negócio já possua um ERP, o lojista deve verificar se é possível os dois sistemas conversarem e garantirem uma qualidade nas informações.

Importante: Evitar furos de estoque.

 

6 – Pesquisa de concorrência

 

É fato que ter uma loja online passou do status de inovação para ser o maior canal de compras de produtos. Como qualquer outro negócio, é necessário entender como a loja irá se posicionar e ganhar destaque.

Pesquisa sobre concorrentes é essencial e isso vai gerar dados para estar alinhado com o que o mercado precisa. Algumas sugestões são:

 

  • Criar preços competitivos.
  • Entender como anunciar produtos.
  • Evidenciar a marca.
  • Estruturar uma logística eficiente.

 

7 – Entender as leis e regras para abrir um e-commerce

 

Em um negócio físico existem regras que devem ser seguidas, porém, o digital também possui algumas diretrizes que o lojista precisa conhecer.

É necessário estar antenado a todas as novidades sobre leis de comércio digital, LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), evidenciar informações para o cliente  sobre políticas de trocas, entregas e ressarcimentos nos campos do site.

O cliente busca segurança ao escolher um local para fazer as suas compras.

 

8 – Organizar o sistema de envio de pedidos

 

Um dos principais braços do processo de um e-commerce é a operação de entrega de pedidos. Pesquisas indicam que 60% das taxas de desistências na hora de fechar o carrinho, estão ligadas à taxa do frete. Uma operação bem desenhada, desde o momento da criação do plano de negócios, vai garantir que não exista margem para imprevistos em um dos processos mais decisivos para o cliente: a entrega do pedido. Recomendamos:

 

  • Estudo do processo de organização de pedidos.
  • Analisar caso precise de entregadores terceirizados.
  • Clareza de prazos e garantir essa entrega dentro deles.

 

9 – Opções de pagamentos

 

É essencial escolher bem como o e-commerce irá receber os pagamentos vindos dos clientes, analisar formas simples, rápidas e principalmente seguras.

Avaliar bem qual o melhor gateway de pagamento, evitará dores de cabeça e taxas abusivas. Vale lembrar que é importante planejar o fluxo de dinheiro, transferências bancárias e o novo queridinho, o PIX.

 

10 – Design e usabilidade da loja

 

A aparência da loja é a primeira barreira que o cliente encontra. A apresentação é essencial para que ele permaneça no site e comece a fazer suas buscas.

Algumas recomendações:

 

  • Design agradável e amigável.
  • Produtos com preços e devidamente catalogados.
  • Interface funcional e intuitiva.

 

Esse guia da Instabuy oferece boas dicas para que o supermercadista comece a ter sucesso em suas primeiras vendas online. Além disso, boa parte dos recursos são feitos durante a integração e desenvolvimento do e-commerce, aliviando o processos para o lojista.

 

Créditos: Giovani Rodrigues – Product Manager na Instabuy